Newsletter

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Ultima gira de 2017 - Roda dos Orixás


Neste dia especial, a partir das 9h da manhã, faremos uma grande celebração por tudo aquilo que recebemos neste ano incrível de 2017. E será o momento de agradecer por tudo que nos foi brindado.

Pedimos a todos que levem frutas para compor nossa mesa de frutas para compartilharmos todas as energias de todos os Orixás que nos abençoaram neste ano que está se encerrando.

Nossos portões ficarão abertos até às 9h20 para a segurança de todos os presentes.

domingo, 10 de dezembro de 2017

Fotos - Encerramento com os guardiões e as guardiãs

Algumas fotos da nossa festa de encerramento que ocorreu hoje, 10 de dezembro de 2017, onde agradecemos o povo da esquerda da nossa casa.

Laroyê Exu!












quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Agradecimento e Encerramento com os Exus

Neste próximo domingo, 10 de dezembro de 2017, a partir das 9h teremos nossa gira de encerramento agradecendo nossos guardiões e guardiãs pelo ano mais do que especial que foi 2017.


Nossos portões ficarão abertos até 9h20 para a segurança de todos.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Próxima gira - Alteração de data

Nossa próxima gira foi alterada para o dia 15/11/17, feriado, a partir das 9h da manhã


Todos os anos no mês de novembro, através da vibração de Obaluae e Omulu, preparamos as pipocas para limpeza energética de todos os presentes no trabalho. E, neste dia, faremos o nosso trabalho anual com o banho de pipocas especialmente preparada para Obaluae. Essa vibração traz equilíbrio energético e espiritual a todos, restaurando nossa aura energética, restabelencendo muitas vezes nossa saúde.

Por se tratar de um dia especial, neste dia temos apenas o banho de pipoca em todos os presentes, descarregando sua aura de possíveis contaminações e recebendo todo o axé dos Orixás da casa.

IMPORTANTE: Os consulentes devem preferir o uso de roupas claras e evitar saias e decotes, além de evitar o consumo de carnes e não consumir bebida alcoólica.

Nossos atendimentos iniciam às 9h. Os portões ficarão abertos até 9h20 e, após esse horário, eles serão fechados para a segurança de todos os presentes.

Segue um pequeno texto esclarecendo um pouco o que é a energia de Obaluae e Omulu.

Omolú é a Terra! Essa afirmação resume perfeitamente o perfil deste orixá, o mais temido entre todos os deuses africanos, o mais terrível orixá da varíola e de todas as doenças contagiosas, o poderoso “Rei Dono da Terra”.

É preciso esclarecer, no em tanto, que Omolú está ligado ao interior da terra (ninùilé) e isso denota uma íntima relação com o fogo, já que esse elemento, como comprovam os vulcões em erupção, domina as camadas maisprofundas do planeta.

Toda a reflexão em torno de Omolú ocorreu colocando-o como um orixá ligado à terra, o que é correto, mas não deixa de ser um erro desconsiderar a sua relação com o fogo do interior da terra, com as lavas vulcânicas, como os gases etc. o que pode ser mais devastador que o fogo? Só as epidemias, as febres, as convulsões lançadas por Omolú!

Orixá cercado de mistérios, Omolú é um deus de origem incerta, pois em muitas regiões da África eram cultuados deuses com características e domínios muito próximos aos seus. Omolú seria rei dos Tapas, originário da região de Empé. Em território Mahi, no antigo Daomé, chegou aterrorizando, mas o povo do local consultou um babalaô que lhes ensinou como acalmar o terrível orixá. Fizeram então oferendas de pipocas, que o acalmaram e o contentaram. Omolú construiu um palácio em território Mahi, onde passou a residir e a reinar como soberano, porém não deixou de ser saudado como Rei de Nupê em pais Empê (KábíyèsíOlútápàLempé).

As pipocas, ou melhor, deburu, são as oferendas predilectas do orixá Omolú; um deus poderoso, guerreiro, caçador, destruidor e implacável, mas que se torna tranquilo quando recebe sua oferenda preferida.

Na África são muitos os nomes de Omolú, que variam conforme a região. Entre os Tapas era conhecido Xapanã (Sànpònná); entre os Fon era chamado de Sapata-Ainon,que significa ‘Dono da Terra’; já os Iorubás o chamam Obaluaiê e Omolú.

Omolú nasceu com o corpo coberto de chagas e foi abandonado pela sua mãe, Nanã Buruku, na beira da praia. Nesse contratempo, um caranguejo provocou graves ferimentos na sua pele. Iemanjá encontrou aquela criança e criou-a com todo amor e carinho; com folhas de bananeira curou as suas feridas e pústulas e transformou-a num grande guerreiro e hábil caçador, que se cobria com palha-da-costa (ikó) não porque escondia as marcas de sua doença, como muitos pensam, mas porque se tornou um ser de brilho tão intenso quanto o próprio sol. Por essa passagem, o caranguejo e a banana-prata tornaram-se os maiores ewò de Obaluaiê.

O capuz de palha-da-costa-aze (aze) cobre o rosto de Obaluaiê para que os seres humanos não o olhem de frente (já que olhar directamente para o próprio sol pode prejudicar a visão). A história de Omolú explica a origem dessa roupa enigmática, que possui um significado profundo relacionado à vida e à morte.

O aze guarda mistérios terríveis para simples mortais, revela a existência de algo que deve ficar em segredo, revela a existência de interditos que inspiram cuidado medo, algo que só os iniciados no mistério podem saber. Desvendar o aze, a temível máscara de Omolú, seria o mesmo que desvendar os mistérios da morte, pois Omolú venceu a morte. Debaixo da palha-da-costa, Obaluaiê guarda os segredos da morte e do renascimento, que só podem ser compartilhados entre os iniciados.

A relação de Omolú com a morte dá-se pelo facto de ele ser a terra, que proporciona os mecanismos indispensáveis para a manutenção da vida. O homem nasce, cresce, desenvolve-se, torna-se forte diante do mundo, mas continua frágil diante de Omolú, que pode devorá-lo a qualquer momento, pois Omolú é a terra, que vai consumir o corpo do homem por ocasião da sua morte.

Obaluaiê andou por todos os cantos de África, muito antes, inclusive, de surgirem algumas civilizações. Do ponto de vista histórico, Omolú é a idade anterior à Idade dos Metais, peregrinou por todos os lugares do mundo, conheceu todas as dores do mundo, superou todas. Por isso Omolú se tornou médico, o médico dos pobres, pois, muito antes da ciência, salvava a vida dos necessitados; durante a escravidão, só não pôde superar a crueldade dos senhores, mas de doenças livrou muitos negros e até hoje muitos pobres só podem recorrer a Omolú que nunca lhes falta.

Características dos filhos de Obaluaiê/Omolú

Os filhos de Omolú são pessoas extremamente pessimistas e teimosas que adoram exibir os seus sofrimentos, daqueles que procuram o caminho mais longo e difícil para atingir algum fim.

Deprimidos e depressivos, são capazes de desanimar o mais optimista dos seres; acham que nada pode dar certo, que nada está bom. Às vezes, são doces, mas geralmente possuem manias de velho, como a rabugice.

Gostam da ordem, gostam que as coisas saiam da maneira que planearam. Não são do tipo que levam desaforo para casa e se se sentirem ofendidos respondem no ato, não importa a quem. Pensam que só eles sofrem, que ninguém os compreende. Não possuem grandes ambições.

Podem apresentar doenças de pele, marcas no rosto, dores e outros problemas nas pernas. São pessoas sem muito brilho, sem muita beleza. São perversos e adoram irritar as pessoas; são lentos, exigentes e reclamam de tudo.

São reprimidos, amargos e vingativos. É difícil relacionar-se com eles. Parece que os filhos de Omolú são pessoas que possuem muitos defeitos e poucas qualidades, mas eles têm várias, e uma qualidade pode compensar qualquer defeito: são extremamente prestáveis e trabalhadores. São amigos de verdade.

O lado positivo da maioria dos filhos de Omolú supera em muito esse lado autodestrutivo que todos têm uns mais, outros menos, mais tem sim.

São extremamente alegres, perseverantes, pacientes e amorosos, tiram a roupa do corpo para agradar uma pessoa, tratam o dinheiro pelo lado do prazer, da satisfação.

Extremamente fiéis a uma causa. A justiça para os filhos de Omolú não é a dos homens e sim a de Deus (Olorun), super limpos e vaidosos, ao contrário de muitos arquétipos, são na maioria muito bonitos, se não fisicamente, são espiritualmente e ainda tem grande afinidade pela atração que exercem nas pessoas. Tem uma capacidade mental atualizada ao seu tempo, raramente adoecem e quando acontece se recuperam mais rápido ainda.

As pessoas de Omolú têm a tendência da mudança propriamente dita, para qualquer coisa que desejarem, parecem dançar Opanijé o tempo todo, procurando por tudo. Trabalhadores incansáveis, filhos de Omolú numa roça fazem de um tudo, apenas não os magoem nem os tratem com indiferença, ciumentos são capazes de exageros, se sentem incompreendidos e, muitas vezes não sabemos o que lhes causam repentinas depressões.

Filhos do Sol e da Terra de Orixá vivo, os filhos de Omolú são maravilhosamente despretensiosos. Um tanto radicais, podem mudar de opinião de uma hora para outra. Também, céticos em sua fé, intuitivos, andarilhos e aguçados.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Minissérie Mãe de Santo - Episódio 1 Exú

Novidades em nosso blog.

Quer conhecer mais a respeito dos Orixás do Candomblé em forma de arte na TV? Conheça a Minissérie Mãe de Santo.


quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Atendimento com Pretos-velhos 29/10/17



Nesta gira os atendimentos com os Pretos-velhos e Erêsvisam trabalhar com a nossa espiritualidade de uma forma muito simples, tranquila e humilde, nos ensinando suas mirongas e patuás, além de serem grandes conhecedores da magia e da feitiçaria, libertando-nos do julgo doloroso que muitas vezes carregamos em nossa aura, através de pensamentos deletérios que podem nos enfeitiçar. Além do que os Erês, com sua alegria incrível, nos vem trazer a leveza e a pureza das crianças, nos ensinando a não levarmos tudo a ferro e fogo, relaxando, rindo e nos alegrando por estarmos vivos.

Os consulentes que estão em tratamento espiritual nos dias de maca, as equipes do CELFB de Magnetismo, Cromoterapia, Fitoterapia e Cristaloterapia estarão presentes e preparadas para aplicar todas as indicações de tratamentos que foram recebidas pelos espíritos anteriormente dando continuidade aos tratamentos.

Todos os consulentes presentes passarão por uma sessão de Kaballah, passes e então serão encaminhados às consultas espirituais ou tratamento.

IMPORTANTE: Os consulentes devem preferir o uso de roupas claras e evitar saias e decotes, além de evitar o consumo de carnes e não consumir bebida alcoólica.

Nossos atendimentos iniciam às 9h. Os portões ficarão abertos até 9h20 e, após esse horário, eles serão fechados para a segurança de todos os presentes.

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Curso de Fitoalquimia em Santos - SP

Pessoal da Baixada Santista de São Paulo. Nos dias 25 e 26 de novembro de 2017 será ministrado o curso de Fitoalquimia Módulo 1, onde será abordado diversos assuntos a respeito de Ervas Ritualísticas e Plantas Medicinais.

No vídeo abaixo vocês podem conferir os assuntos que serão ministrados.



Conteúdo programáticos do curso:
  • Breve introdução da história das plantas medicinais citando Papiro de Ebers, Aspirina, Atropina, Idade Média, Revolução Industrial, Brasil
  • As fases lunares e sua influência nas plantas
  • Diferenças religiosas que influenciam no conhecimento das ervas ritualísticas
  • Umbanda e seus Orixás: 7 orixás, suas influências e suas ligações com as ervas
  • Candomblé e seus Orixás: 256 orixás, suas influências e suas ligações com as ervas
  • Combinação do Ectoplasma humano e Bioplasma da Planta – Foto da aura das plantas
  • Pessoas Ying e Yang e sua manipulação energética das Plantas
  • Tipos de ervas e suas classificações: Ervas quentes ou agressivas, Ervas mornas ou equilibradoras e Ervas frias ou específicas
  • Teoria e prática: Amaci e uma consagração
  • Teoria e prática: Banho ritualísticos e terapêuticos utilizando ervas frescas e secas
  • Necessidade de evocação dos orixás e elementais. Uso de velas é necessário?
  • Ativação das ervas através de rezas ou oração
  • Teoria e prática: Bate folhas e a limpeza profunda de ambientes
  • Teoria e prática: Fumo ritualístico usando apenas ervas
  • Teoria e prática: Defumação para diversos fins em ambientes
  • Normas de Segurança e Leis da ANVISA
  • 1º Fitomedicamento nacional: Cordia verbenacea 
  • Receitar, prescrever ou indicar plantas medicinais em terapias ou nos templos.
  • Lista dos principais princípios ativos (RDC 10/2010)
  • Uso terapêutico/medicamentoso das plantas medicinais
  • Teoria e prática: Infusão
  • Teoria e prática: Deccoção 
  • Teoria e prática: Tintura-mãe
  • Teoria e prática: Alcoolatura 
  • Teoria e prática: Maceração
  • Teoria e prática: Creme
  • Teoria e prática: Gel
  • Banhos terapêuticos
  • Teoria: Homeopatia
  • Teoria: Aromaterapia