Newsletter

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

20/01 - São Sebastião (sincretismo com Oxossi)

Imagem de São Sebastião no
Santuário Nacional da Umbanda

De acordo com Actos apócrifos, atribuídos a Santo Ambrósio de Milão, Sebastião era um soldado que teria se alistado no exército romano por volta de 283 d.C. com a única intenção de afirmar o coração dos cristãos, enfraquecido diante das torturas. Era querido dos imperadores Diocleciano e Maximiliano, que o queriam sempre próximo, ignorando tratar-se de um cristão e, por isso, o designaram capitão da sua guarda pessoal, a Guarda Pretoriana. Por volta de 286, a sua conduta branda para com os prisioneiros cristãos levou o imperador a julgá-lo sumariamente como traidor, tendo ordenado a sua execução por meio de flechas (que se tornaram símbolo constante na sua iconografia). Foi dado como morto e atirado no rio, porém, Sebastião não havia falecido. Encontrado e socorrido por Irene (Santa Irene), apresentou-se novamente diante de Diocleciano, que ordenou então que ele fosse espancado até a morte. Seu corpo foi jogado no esgoto público de Roma. Luciana (Santa Luciana, cujo dia é comemorado em 30 de Junho) resgatou seu corpo, limpou-o, e sepultou-o nas catacumbas.

O seu nome deriva do grego sebastós, que significa divino, venerável (que seguia a beatitude da cidade suprema e da glória altíssima).

Tal como São Jorge, Sebastião foi um dos soldados romanos mártires e santos, cujo culto nasceu no século IV e que atingiu o seu auge na Baixa Idade Média, designadamente nos séculos XIV e XV, tanto na Igreja Católica como na Igreja Ortodoxa. Embora os seus martírios possam provocar algum ceticismo junto dos estudiosos atuais, certos detalhes são consistentes com atitudes de mártires cristãos seus contemporâneos.

Sincretismo

Nas tradições de afro-brasileiras, o Orixá Oxossi na Umbanda é sincretizado como São Sebastião. Oxossi é o grande Orixá das florestas e das relações entre o reino animal e vegetal. Grande caçador, comumente é representado nas florestas caçando com seu arco e flecha.

Para acompanhar um pouco sobre a mitologia de Oxossi, veja nossos posts

Um comentário:

  1. Agradeço pelo texto. Esclarecedor, informativo, enxuto.
    Peço autorização para compartilha-lo, em parte, com amigos virtuais, e através de rede social, com os devidos créditos e link de origem.
    Acompanhando-o, uma imagem ilustrativa de São Sebastião, e fará parte de uma série de posts, por mim pesquisado e colecionado virtualmente, cuja linha condutora é a iconografia do Santo, martirizado no século III da era cristã, em suas diversas representações por pintores, gravuristas, escultores, impressores, e breves relatos de suas relações com o Santo. Interface que já se estende ao longo de quase 1.800 anos.
    Sendo assim, o sincretismo com a Religião do Camdomblé e da Religião da Umbanda, se ajusta no conceito da série que, prazeirosamente coleciono e,compartilho com meus amigos.
    Agradeço a atenção.
    Gilson Filho
    https://www.facebook.com/bragamonte

    ResponderExcluir