Newsletter

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Decepção ou Aprendizado

Olá gente !!

Tudo bem com vocês?

Nada melhor, iniciarmos o chamado "mês do cachorro louco" com uma boa mensagem, orientada pelos espíritos que nos ajudam sempre que estamos aptos ou conectados com o mundo invisível de alguma forma...

Recebi esta mensagem num momento em que eu estava no Centro Espírita Bênção de Paz, disponível para fazer as inscrições do 3º Volume da Trilogia "Reino das Sombras".

Nestes últimos meses, muitas mudanças ocorreram na minha vida - PARA MELHOR É CLARO e esta mensagem veio respondendo até algumas questões que eu tinha em minha mente perante a minha própria vida...

Decepção ou Aprendizado

Muitas vezes não sabemos definir com exatidão qual a nossa realidade no plano físico. Sabemos que somos espíritos encarnados e que temos o infinito tempo para continuar construindo algo em nossa caminhada evolutiva até chegarmos a perfeição relativa, difundida por Allan Kardec em O Livro dos Espíritos.

Muitas pessoas, filhos do mesmo Pai, tentam buscar a felicidade de alguma forma ou de alguma maneira, mas na realidade nunca percebem que ferem a si mesmos quando não conseguem respeitar a lei do livre arbítrio.

Ao caminhar, o ser encarnado começa a depositar sua fé, seu sentimento, seu amor, sua veneração em outro encarnado que também está na mesma caminhada evolutiva e, esquece um dos princípios básicos relacionados a isso, que o ser encarnado, em que foi depositado um grande sentimento, está no mesmo patamar de aprendizado em direção à Vida Maior.

Na maioria das vezes, uma grande decepção ser faz presente nestes casos, assolando os corações dos seres que sentem algo por alguém e que não conseguem discernir a realidade do espírito em questão que está em processo de evolução espiritual. Isso trás um grande sentimento de vazio, decepção e, muitas vezes, desespero por enxergar a verdadeira face ou a verdadeira essência dos espíritos encarnados na Terra labutando sua melhora ou estacionando sua consciência cósmica em sentimentos mesquinhos.

O aprendizado em nosso mundo vem como sofrimento, pois é a única maneira que nosso estágio evolutivo consegue entender a lição da melhor forma, levando o espírito a refletir em si e nas atitudes que o levam ao desespero. Há outra maneira, é claro, de entender o caminho da Verdade, mas num mundo de provas e expiações na qual estagiamos não conseguimos entender senão através da dor.

Essa decepção vem de maneira dolorosa para o coração que depositou muito carinho, amor e confiança em alguém que nos é caro, porém existe o outro lado da moeda, como se diz no mundo. As lições que são catalogadas como ruins devem ser vistas por todos os ângulos possíveis, antes mesmo do espírito encarnado começar a julgar a justiça divina e as leis que regem o universo.

Analisando a decepção por outro ângulo, dá-se a possibilidade de enxergar em seu próprio irmão, que não consegue continuar a caminhada evolutiva vivenciando as lições de Cristo Jesus, um modelo dos céus para te ensinar a não o copiá-lo nas atitudes. Muitas vezes a mesquinhez, o orgulho, a arrogância e o pré-julgamento levam os seres humanos a lutas intermináveis e carregam consigo durante várias e várias reencarnações e não conseguem se livrar disso. Veja por esse ângulo – se uma pessoa te decepcionou por utilizar-se de extrema arrogância e mesquinhez na caminhada evolutiva, feche sua casa mental para julgamentos e não deixe que a desordem ocasionada por determinado ser, se instale em seu psiquismo, levando-o a tristeza, melancolia, rancor ou mágoa, crescendo até um possível ódio – faça suas orações diárias e enderece suas melhores vibrações de amor para todos aqueles seres que o fizeram chorar, mesmo que por pequenos instantes.

O Amor, como prática de vida cristã, a tudo reconforta, reconstrói e renova. A natureza destrói para reconstruir não é? Porque deveria ser diferente com o ser encarnado em que a desordem pode ser instalada por uma nuvem carregada de arrogância ou orgulho, fazendo cair os tormentos da vida na alma?

Abrimos nossos olhos para a realidade da vida e para a realidade das questões que são pertinentes ao mundo de provas e expiações na qual todos estamos estagiando, procuremos achar o melhor ponto da dor sentida para que o Amor Celestial faça a sua parte na centelha divina que foi criada por Deus Maior e que eleve esse espírito na sua caminhada evolutiva aos planos maiores da Perfeição Relativa onde reside o Amor Celestial, ainda não vivenciado na Terra de forma plena por todos seus habitantes, apenas por Cristo Jesus, que mostrou na vida e na cruz o Seu Verdadeiro Amor.

São Paulo, 29 de agosto de 2010


Carlos A.

Nenhum comentário:

Postar um comentário